Seguidores

sexta-feira, setembro 01, 2006

Doideiras

As dez doenças mais malucas

Uma pesquisa do jornal australiano Sydney Morning Herald relacionou algumas
das síndromes mais estranhas que atingem o ser humano. Podem parecer
doideiras (e são...), mas para cada uma dessas doenças existe um batalhão
de médicos tentando descobrir a causa. E principalmente a cura
Por Marcelo Bortoli

10 -CEGUEIRA EMOCIONAL

A expressão "cego de emoção" existe na prática, e pode acontecer com
qualquer pessoa normal. O problema foi descoberto recentemente por
pesquisadores da Universidade de Yale, nos Estados Unidos. Depois de olhar
para alguma imagem forte, principalmente com conteúdo pornográfico, a
maioria das pessoas perde a vista por um curto espaço de tempo - décimos de
segundo na verdade. Até agora, nenhum especialista conseguiu explicar o
porquê dessa reação.A descoberta da cegueira emocional deu origem a um
movimento no Congresso americano para que seja banida toda a publicidade
com apelo erótico em grandes rodovias do país.


9 -SÍNDROME DA REDUÇÃO GENITAL

Também conhecido como koro, esse distúrbio mental deixa a pessoa convencida
de que seus genitais estão desaparecendo. A maioria dos casos até hoje foi
relatada em países da Ásia ou da África, e em muitos deles a síndrome
parece ter sido contagiosa! Um dos episódios mais estranhos ocorreu em
Cingapura, em 1967, quando o serviço de saúde local registrou centenas de
casos de homens que acreditavam que seu pênis estava sumindo.

Um único caso da síndrome da redução genital foi registrado até hoje no
Brasil, no Instituto de Psiquiatria da USP. Convencido de que seu pênis
estava sumindo, o doente tentou se matar com duas facadas no abdômen!



8- SÍNDROME DE RILEY-DAY

Se você já sonhou em nunca mais sentir nenhuma dor, cuidado com o que
pede... As vítimas dessa doença não sentem dores, mas isso é um problemão.
Elas ficam muito mais sujeitas a sofrer acidentes porque param de registrar
qualquer aviso de dano nos tecidos do corpo, como cortes ou queimaduras. A
doença é causada por uma mutação no gene IKBKAP do cromossomo 9 e foi
descrita pela primeira vez pelos médicos Milton Riley e Richard Lawrence
Day. Sem o aviso de perigo que a dor proporciona às pessoas comuns, a
maioria dos doentes com a síndrome de Riley-Day tende a morrer jovem, antes
dos 30 anos, por causa de ferimentos.



7 -SÍNDROME DE COTARD

Depressão extrema, em que o doente passa a acreditar que já morreu há
alguns anos. Ele acha que é um cadáver ambulante e que todos à sua volta
também estão mortos. Em casos extremos, o sujeito diz que pode sentir sua
carne apodrecendo e vermes passeando pelo corpo... Na fase final, a vítima
deixa até de dormir e sua ilusão pode efetivamente se tornar realidade. O
nome da doença faz referência ao médico francês Jules Cotard, que a
descreveu pela primeira vez em 1880.
Apesar de depressivo e certo de que está morto, o doente,
contraditoriamente, também pode apresentar idéias megalomaníacas, como a
crença na própria imortalidade.


6 - MALDIÇÃO DE ONDINA

O nome bizarro é uma referência a Ondina, ninfa das águas na mitologia pagã
européia. A doença, mais estranha ainda, faz com que as vítimas percam o
controle da respiração.

Se não ficar atento, o sujeito simplesmente esquece de respirar e acaba
sufocado! A síndrome foi descoberta há 30 anos e já existem cerca de 400
casos no mundo. Pesquisadores do hospital Enfants Malades, de Paris,
acreditam que a doença esteja relacionada com um gene chamado THOX2B. O
sistema nervoso central se descuida da respiração durante o sono e o doente
precisa dormir com um ventilador no rosto para não ficar sem ar!



5- PICA

Esse nome também estranho não tem nada de pornográfico: pica é uma palavra
atina derivada de pêga, um tipo de pombo que come qualquer coisa. E a pica
a síndrome, é claro... faz exatamente isso: a pessoa sente um apetite
compulsivo por coisas não comestíveis, como barro, pedras, tocos de
cigarros, tinta, cabelo... O problema atinge mais grávidas e crianças. Após
comerem muita porcaria involuntariamente, os glutões ficam com pedras
calcificadas no estômago.Em 2004, médicos franceses atenderam um senhor de
62 anos que devorava moedas. Apesar dos esforços, ele morreu. Com cerca de
600 dólares no estômago...



4- SÍNDROME DE ALICE NO PAÍS DAS MARAVILHAS

doença que provoca distorções na percepção visual da vítima, fazendo com
que alguns objetos próximos pareçam desproporcionalmente minúsculos. O
distúrbio foi descrito pela primeira vez em 1955, pelo psiquiatra inglês
John Todd, que o batizou em homenagem ao livro de Lewis Carroll. Na obra, a
protagonista Alice enxerga coisas desproporcionais, como se estivesse numa
"viagem" provocada por LSD. As vítimas da síndrome também vêem distorções
no próprio corpo, acreditando que parte dele está mudando de forma ou de
tamanho.



3.- SÍNDROME DA MÃO ESTRANHA

"Minha mão agiu por conta própria..." Essa desculpa usada por alguns
cafajestes pode ser verdadeira. A síndrome em questão alien hand syndrome,
em inglês faz com que uma das mãos da vítima pareça ganhar vida própria. O
problema atinge principalmente pessoas com lesões no cérebro ou que
passaram por cirurgias na região. O duro é que o doente não presta atenção
na mão boba, até que ela faça alguma besteira. A mão doida é capaz de ações
complexas, como abrir zíperes... Os efeitos da falta de controle sobre a
mão podem ser reduzidos dando a ela uma tarefa qualquer, tarefa qualquer,
como segurar um objeto.


2 - SÍNDROME DE CAPGRAS

Após sofrer uma desilusão com o cônjuge, com os pais ou com qualquer outro
parente, a pessoa passa a acreditar que eles foram seqüestrados e
substituídos por impostores. O sintoma por vezes se volta contra a própria
vítima: ao se olhar no espelho, ela também acredita que está vendo a imagem
de um farsante. Neurose total! O problema tende a atingir mais pessoas a
partir dos 40 anos e suas causas ainda não são conhecidas. A síndrome foi
descoberta pelo psiquiatra francês Jean Marie Joseph Capgras, que a
descreveu pela primeira vez em 1923. Em graus mais extremos, a vítima acha
que até objetos inanimados, como cadeiras, mesas e livros, foram
substituídos por réplicas exatas.



1 SÍNDROME DO SOTAQUE ESTRANGEIRO

Após sofrer uma pancada ou qualquer outro tipo de lesão no cérebro, as
vítimas desse distúrbio passam a falar com sotaque francês... ou
italiano... ou espanhol. A língua varia, mas, na maioria dos casos, as
vítimas desconhecem o novo idioma. Segundo cientistas, a pronúncia não é
efetivamente estrangeira, só dá a impressão disso. Pesquisadores da
Universidade de Oxford, na Inglaterra, acreditam que o sintoma é causado
por um trauma em áreas do cérebro responsáveis pela linguagem, provocando
mudanças na entonação, na pronúncia e em outras características da fala. Um
caso bem recente da síndrome do sotaque rolou com a britânica Lynda Walker,
no mês passado. Após um infarto, Lynda acordou falando com sotaque
jamaicano.





Publicado na Edição 54 - 08/2006
Beijos e bom dia

Nenhum comentário:

 
//